Caldo de Legumes


Ingredientes
  • 1 cebola
  • 2 folhas de louro
  • 1 alho-poró
  • 1 cenoura
  • 1 salsão (aipo)
  • Bouquet garni - folhas de alho-poró, louro, tomilho, salsa e aipo
  • 2 litros de água fria

Modo de preparo

  1. Corte os legumes em cubos ou pedaços e refogue brevemente em uma panela.
  2. Coloque os 2 litros de água fria e o bouquet garni  e o louro no refogado de legumes e deixe ferver por pelo menos 1 hora.
  3. Desligue o fogo, peneire os legumes e coloque o caldo em uma forma de gelo para congelar ou guarde em uma garrafa ou pote de vidro na geladeira.


O despertar do corpo



Antes da 6 da manhã o despertador toca, “mais 5 minutinhos” viro para o lado puxando o as cobertas. Quando olho novamente, meia hora já passou. Pulo da cama atrasada, entro no chuveiro, não dá tempo para café, está frio, mas só uma banana serve, como no caminho. Entro no carro no piloto automático rumo ao trabalho. Passo o dia ouvindo, carregando, sentando e levantado sem me dar conta de que tenho um corpo. Almoço na frente do computador, termino o dia exausta, que academia que nada, quero meu sofá.
É assim a rotina de boa parte das pessoas, o resultado destes hábitos são dores, problemas digestivos, doenças crônicas como obesidade, hipertensão e diabetes, insônia, depressão, câncer e muitos outros danos à saúde física e mental. Ao invés de ouvir o corpo, é melhor calá-lo com analgésicos e outros medicamentos para não ter que parar a vida e recalcular os objetivos, mas nosso corpo é sábio.
Antes de desencadear uma doença grave, o corpo humano dá sinais as vezes sutis, outras nem tanto, de que está sendo sobrecarregado. Uma dor de cabeça recorrente, uma gripe que não melhora, uma crise alérgica que não cede, podem ser o sinal vermelho de que seu corpo está funcionando no limite. Mal comparando, é como andar com um carro só em primeira marcha, uma hora o motor funde.
Conhecer e escutar o corpo é um dos pilares do bem-estar físico e mental. No tempo em que tudo é proibido comer, temos que praticar a atividade física da moda e que todos os hábitos têm um diagnóstico, tende-se a fazer mais o que o outro diz que é bom e menos o que reconheço ser bom para o meu corpo. Comer bem é ter um prato preparado com carinho que me traga alegria e acolhimento, a boa atividade física é aquela que me dá prazer e não uma obrigação. Fazer nada é muito necessário, pois nos coloca em contato com as nossas sensações, ficar triste bravo e estressado seguido de uma gargalhada não é sinal nem de depressão, nem de bipolaridade.

Despertar seu corpo com um espreguiçar, prestar atenção a sua postura, reconectar-se com as suas emoções, procurar fazer trocas diretas com pessoas, falar sobre sentimentos e desejos são caminhos que nos guiam a uma sabedoria natural da nossa essência. 

Quando falta respeito e sobram opressões


As pessoas estão vivendo mais e envelhecendo melhor, os sexagenários de hoje, são bem diferentes dos de 30 anos atrás. Chegar aos 80 anos não é uma raridade, mas a longevidade cobra a conta.
Até os 80 anos os idosos são, em boa parte, independentes tanto física, quanto financeiramente. Alguns se planejaram, outros fazem uso do patrimônio construído ao longo da vida. Ao passar a ponte e se tornar octogenário, os que conseguem viver sem nenhum tipo de auxílio são exceção. Nesta fase os gastos aumentam e a atuação familiar, principalmente dos filhos, se faz necessária.
Quem convive com idosos, sabe que não é uma tarefa muito fácil. Quando existe um vínculo familiar a relação fica ainda mais complexa. As posições  invertem-se e trava-se uma guerra de quem pode mais, de quem desobedece mais, de quem proíbe mais, de quem controla mais. O diálogo e o respeito passam longe dessa convivência e dão lugar a uma ditadura cheia de restrições. Neste momento o idoso é pouco levado em conta, é pouco ouvido. Seus medos, anseios e opiniões são ignorados pelo novos condutores de seus destinos, uma cena triste para quem assiste de fora.  
Envelhecer traz uma série de sentimentos e sensações que antes não existiam, tudo se torna mais difícil, mais trabalhoso. O que antes era feito com rapidez, pode levar semanas de planejamento gerando ansiedade e desconforto. A dependência causa mais medo que a morte e a intransigência de quem lida com o idoso pode agravar seus problemas de saúde.
Por tanto, se você tem pais ou avós idosos, saiba que eles precisam de ajuda e não de controle. Se estiverem conscientes, não devem ser mantidos no escuro quanto a decisões a seu respeito. Se a intenção é diminuir as preocupações ao poupá-los dos problemas que o cercam, saiba que a falta de informação gera ainda mais ansiedade e que esta não é facilmente controlável. Se o idoso estiver demenciado ou completamente inconsciente, procure tomar decisões baseadas no respeito e consideração. Coloque-se no lugar do outro e pense como você gostaria de ser tratado, afinal todos nós seremos velhos um dia.

Sopa de Couve-flor com Alho poró

Com as noites mais frias chegando, nada mais gostoso que tomar uma sopinha no jantar. Além de uma refeição leve a sopa aquece e vem cheia de sabor e nutrientes. 

Imagem Ilustrativa

Ingredientes

  • 1 couve-flor
  • 1 alho-poró
  • Água ou caldo caseiro de legumes
  • Sal marinho
  • Azeite
Modo de preparo:

1. Lave e corte a couve-flor em pedaços médios
2. Cozinhe a couve-flor na água com sal (não precisa chegar a cobrir a couve-flor com a água, até a metade basta).
3. Bata a couve-flor cozida no liquidificador com a água do cozimento e reserve.
4. Em uma outra panela, refogue o alho-poró no azeite e adicione o creme de couve-flor.
5. Deixe ferver, adicione sal e pimenta-do-reino se precisar.
6- Se quiser pode servir com couve refogada no alho por cima.

O caldo de legumes, serve de base para risotos e sopas, além de durar até 6 meses no freezer. Pode ser congelado em vidros ou em forminha de gelo para ser usado nos pratos do dia a dia no lugar dos caldos industrializados. Lembre-se que ao congelar alimentos em potes de vidro, deixe de três a quatro dedos de espaço para o vidro não estourar. 


CALDO DE LEGUMES

Ingredientes
  • 1 cebola
  • 2 folhas de louro
  • 1 alho-poró
  • 1 cenoura
  • 1 salsão (aipo)
  • Bouquet garni - folhas de alho-poró, louro, tomilho, salsa e aipo
  • 2 litros de água fria

Modo de preparo

  1. Corte os legumes em cubos ou pedaços e refogue brevemente em uma panela.
  2. Coloque os 2 litros de água fria e o bouquet garni  e o louro no refogado de legumes e deixe ferver por pelo menos 1 hora.
  3. Desligue o fogo, peneire os legumes e coloque o caldo em uma forma de gelo para congelar ou guarde em uma garrafa ou pote de vidro na geladeira.


O Poder do Toque

          Seja um abraço, um aperto de mão, uma dança ou uma massagem, o toque é  um dos meios que nos conduz ao bem-estar físico, emociona...